Ora hoje são...

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo

Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 17 de maio de 2010

O Meu Segredo...

Hoje foi noite fria. Uma noite onde tudo era indiscutivelmente grande e sensível. Aqueles passos frescos com um rasto de violeta e castanho eram leves e sem destino. Tive medo e receio. Hoje foi noite onde eu dei tudo. Que será das pedras de calçada que eu destruí com os meus passos anónimos? Quis dizer tanta coisa ás estátuas que murmuravam na rua, aos muros que me faziam curvar nas esquinas porcas e sujas de tintas.
Andei sem maldade e sem raiva…mas o medo era muito.

Ao longe via ruínas e um banco que chamara pelo meu aconchego. O meu murmurinho de acordes e harmonias era a única coisa que se ouvia naquele espaço. A água do lago era o céu reflectido e que iluminava aquele espaço onde era espaço das minhas mágoas e lágrimas. Desejei ter aqueles azulejos todos para poder construir o meu cubículo e desejar que o céu seja para sempre o meu tecto e o chão a minha cama.
Pedi a Deus…

As minhas mãos inchadas e calejadas pareciam que ardiam de tão quente que estavam. A minha cabeça estava quase a rebentar. Tudo me passou pela cabeça, tudo era lindo e cheio se inocência. Só eu e o meu murmurinho de palavras de perdão e agradecimento é que parecíamos estar ali a mais.
Agradecia Deus…
Então fez-se o Silêncio…tive saudade e vontade de apertar algo.
O banco onde estará sentado estava bastante aconchegado assim como eu. Falei, murmurei e chorei, e a única resposta que tive era a arrepios e os sons da água a correr por entre as ruínas.
Queria ali tudo…queria o meu pai, todos aqueles que nunca mais falei, todos aqueles que já morreram, todos aqueles que me amam, todos aqueles que eu amo. Queria músicos a cantar comigo e pessoas a dançar. Queria abraçar e destruir ao mesmo tempo. Queria partir a ampulheta à qual chamamos tempo. Queria ser sementes no vento e voar com ele…ser plantado na mais árida planície e esperar por água para poder germinar…
***
As letras espalharam-se no meu monitor entre uma música, uma vela e um incenso.
A noite foi a única “pessoa” que me abraçou e que foi especial para mim.
Este foi o nosso segredo…
Obrigado meu Deus…

14 comentários:

Shell disse...

' Queria partir a ampulheta à qual chamamos tempo. ' Gostei :) * beijinho

m.sunshine disse...

P'ra próxima chama-me e abraço-te também. :) *

- Jezebel disse...

(:
saudades*

Iúri Zúluri Revel Regueiro disse...

shell....brigada

Iúri Zúluri Revel Regueiro disse...

m sunshine...prometido

Iúri Zúluri Revel Regueiro disse...

jezebel...saudades

Bea. disse...

pois, andei um pouco ausente :s mas voltei :D o teu blog transmite uma energia :$ amooo

<3

Catarina disse...

como caldense tenho o prazer de conhecer o lugar onde essa fotografia foi tirada, bjs (:

Iúri Zúluri Revel Regueiro disse...

volta sempre bea...sempree

Iúri Zúluri Revel Regueiro disse...

catrinaaa e o nosso cafe?

Catarina disse...

temos de combinar esse café :D

joana meneses disse...

muito obrigada pelo elogio e pelo comentário no blog :D
gostei do que aqui vi, irei seguir.

beijinho

Iúri Zúluri Revel Regueiro disse...

pois temos catarina

Iúri Zúluri Revel Regueiro disse...

oh joana..tas a vontade